Bonds / Debêntures

Bonds e Debêntures
Emissões de Bonds e Debêntures
Emissões Vigentes Montante em milhões (US$/R$) Remuneração Emissão Vencimento Rating
Bonds
Bond 2028 US$ 500 5,875% 5/12/2017 19/01/2028 BB- / BB- (S&P/Fitch)
Bond 2031 US$ 1.000 4,375% 03/03/2021 18/03/2031 BB / BB (S&P / Fitch)
Bond Retap 2031 US$ 400 4,375% 06/07/2021 18/03/2031 BB / BB (S&P / Fitch)
Debêntures
7ª Emissão R$ 500 IPCA + 4,50% a.a.  22/11/2019 12/12/2024 brAA+ pela S&P
8ª Emissão – 1ª Série R$ 400 IPCA + 5,75% a.a.  22/05/2020 13/05/2025 brAA+ pela S&P
8ª Emissão – 2ª Série R$ 200 CDI + 5,40% a.a. 22/05/2020 13/05/2026 brAA+ pela S&P
9ª Emissão R$ 600 IPCA + 5,40% a.a 15/06/2020 12/06/2025 brAAA pela S&P
10ª Emissão – 1ª Série R$ 1.200 IPCA + 4,55% a.a 19/04/2021 19/04/2028 ‘brAAA (sf)’ pela S&P
10ª Emissão – 2ª Série R$ 400 IPCA + 4,37% a.a.  19/04/2021 19/04/2031 ‘brAAA (sf)’ pela S&P
11ª Emissão R$ 400 CDI + 1,60% a.a. 21/10/2021 21/10/2026 ‘brAAA (sf)’ pela S&P
12ª Emissão R$ 1.500 NTN-B + 1.03% a.a. 15/07/2022 12/07/2029 ‘brAAA (sf)’ pela S&P

Capitalização

A tabela a seguir apresenta, a partir das demonstrações financeiras preparadas em conformidade com o IFRS, a capitalização do Minerva em 31 de março de 2022.

31 de março de 2022
(em milhões de Reais)
Caixa e bancos 6.203
Total do endividamento de curto prazo 1.940
Total do endividamento de longo prazo 10.867
Total do patrimônio líquido 739
Capitalização Total(1) 19.749

(1) A capitalização total é a soma do caixa, do endividamento de curto e longo prazo e do patrimônio líquido.

 

Histórico de Capitalização:

2007

Em janeiro de 2007 , o Minerva realizou por meio da subsidiária integral Minerva Overseas Ltd. uma captação no valor total de US$200 milhões, por meio de uma emissão de notas, no mercado externo, com vencimento em 01 de fevereiro de 2017 (prazo de 10 anos para pagamento de principal) e cupom de 9,5% ao ano, pagáveis semestralmente nos meses de fevereiro e agosto de cada ano. Ao realizar tal emissão, o Minerva assumiu uma série de compromissos restritivos perante os detentores dos títulos, dentre os quais incorrer em endividamento acima de um determinado limite e pagar dividendos maiores do que 50% do lucro líquido ajustado no exercício.

2009

Em janeiro de 2009, o Minerva realizou por meio da subsidiária integral Minerva Overseas II Ltd. uma captação no valor total de US$250 milhões, por meio de uma emissão de notas, no mercado externo, com vencimento em 26 de novembro de 2019 (prazo de 10 anos para pagamento de principal) e cupom de 10,785% ao ano, pagáveis semestralmente nos meses de fevereiro e agosto de cada ano.

2010

Em julho de 2010, o Minerva realizou por meio de contrato de emissão de Debêntures a captação de R$ 200 milhões com vencimento em julho de 2015.

2011

Em agosto de 2011, o Minerva realizou por meio de contrato de emissão de Debêntures Mandatoriamente Conversíveis a captação de R$ 190 milhões com vencimento em agosto de 2015.

2012

Em fevereiro de 2012, a empresa captou com grande sucesso US$ 350 milhões através da emissão de Notes no mercado internacional, com vencimento em fevereiro de 2022 e cupom de 12,250% ao ano. A demanda pelos títulos de dívida do Minerva chegou a mais de cinco vezes a oferta inicial, mostrando a evidente confiança do mercado nos fundamentos de longo prazo e na estratégia da companhia. Em março de 2012 a empresa realizou o Re-Tap da operação e captou mais US$ 100 milhões, totalizando US$ 450 milhões.

 

2012

Em 20 de junho 2012, a Companhia realizou uma oferta pública de debêntures não conversíveis em ações, com esforços restritos de colocação, nos termos da Instrução da CVM 476, no montante total de R$450,0 milhões, com vencimento em 20 de janeiro de 2022. As debêntures são remuneradas a uma taxa de 16,95% ao ano. Os recursos foram destinados ao plano de investimentos da Companhia.

2012

Em 29 de outubro de 2012, o Conselho de Administração da Companhia aprovou a realização de oferta pública de distribuição primária e secundária de ações de emissão da Companhia (“Oferta”). No âmbito da Oferta, foram emitidas 37.500.000 novas ações ordinárias da Companhia e alienadas 7.500.000 ações ordinárias de titularidade do acionista VDQ Holdings S.A., ao preço de R$ 11,00 (onze reais) por ação. Em reunião do Conselho de Administração da Companhia datada do dia 28 de novembro de 2012 foi aprovado o aumento do capital social da Companhia no montante de R$ 412.500.000,00 (quatrocentos e doze milhões e quinhentos mil reais).

2012

Em 28 de dezembro de 2012, no âmbito da referida Oferta, o Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A. (“Agente Estabilizador”) exerceu parcialmente a opção outorgada pela Companhia para a distribuição de um lote suplementar de 262.900 de Ações, a fim de atender ao excesso de demanda verificado no decorrer da Oferta (“Opção de Ações Suplementares”), resultando no total de 37.762.900 Ações emitidas pela Companhia, no montante de R$ 415.391.900,00.

2013

Em 17 de janeiro de 2013 a companhia anunciou a Emissão de Novas Notes no montante total de US$ 850.000.000,00, com juros de 7,75% ao ano, que teve encerramento no dia 13 de fevereiro de 2013. Com os recursos obtidos fora recomprados US$10.685.000 do montante principal das Notas 2017, equivalente a aproximadamente 32% das Notas 2017 em circulação, US$317.976.000 o montante principal das Notas 2019, equivalente a aproximadamente 85% das Notas 2019 em circulação e US$320.137.000 do montante principal das Notas 2022, equivalente a aproximadamente 71% das Notas 2022 em circulação. As notas foram colocadas no mercado internacional e ofertadas somente a investidores institucionais qualificados, residentes e domiciliados nos Estados Unidos da América, com base na regulamentação emitida pela Securities and Exchange Commission, especificamente, a “Rule 144A”, e, nos demais países, exceto no Brasil e nos Estados Unidos da América, com base na “Regulation S”. Em agosto de 2014 a empresa realizou o Re-Tap da operação e captou mais US$ 200 milhões, totalizando US$ 1.050 milhões.

2013

Em 18 de janeiro de 2013, a companhia realizou o resgate antecipado da totalidade das debêntures da 1ª (primeira) Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, com Garantia Fidejussória, para Distribuição Pública, com Esforços Restritos, da Companhia, pelo valor de R$ 203.912.712,24 (duzentos e três milhões, novecentos e doze mil, setecentos e doze reais e vinte e quatro centavos).

2014

Em 27 de março de 2014 a Companhia anunciou a conclusão da emissão de notas perpétuas no mercado internacional no montante de US$ 300 milhões, com juros de 8,75% ao ano por meio de sua subsidiária integral Minerva Luxemburgo. A emissão das notas teve como objetivo alongar o prazo médio de vencimento da dívida da Companhia e melhorar a estrutura de capital, através da utilização de um instrumento diferenciado de captação, diversificando ainda mais a base de investidores. A liquidação da operação ocorreu no dia 3 de abril de 2014.

2016

Em 08 de setembro de 2016 a companhia anunciou a Emissão de Novas Notes no montante total de US$ 1.000.000.000,00, com juros de 6,50% ao ano, que teve encerramento no dia 29 de setembro de 2016. Com os recursos obtidos foram recomprados US$ 617,874.000 do montante principal das Notas 2023, equivalente a aproximadamente 71,18% das Notas 2023 em circulação. As notas foram colocadas no mercado internacional e ofertadas somente a investidores institucionais qualificados, residentes e domiciliados nos Estados Unidos da América, com base na regulamentação emitida pela “Securities and Exchange Commission”, especificamente, a “Rule 144A”, e, nos demais países, exceto no Brasil e nos Estados Unidos da América, com base na “Regulation S”. Em junho de 2017 a empresa realizou o Re-Tap da operação e captou mais US$ 350 milhões, totalizando US$ 1.350 milhões.

2017

Em 2 de outubro de 2017, a Companhia realizou uma captação no valor total de R$ 350 milhões, por meio da emissão de Certificados de Recebimentos do Agronegócio pela CIBRASEC – Companhia Brasileira de Securitização, lastreados na 5ª (quinta) Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, em Série Única, para Colocação Privada da Minerva.

2017

Em 16 de outubro de 2017, a companhia realizou o resgate antecipado da totalidade das debêntures da 4ª (quarta) Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, com Garantia Fidejussória, para Distribuição Pública, com Esforços Restritos, da Companhia, pelo valor de R$ 155.761.470,57 (cento e cinquenta e cinco milhões, setecentos e sessenta e um mil, quatrocentos e setenta reais e cinquenta e sete centavos).

2017

Em 05 de dezembro de 2017 a Companhia anunciou a Emissão de Novas Notes no montante total de US$ 500.000.000,00, com juros de 5,875% ao ano e vencimento em 2028. Parte dos recursos obtidos foram direcionados para recompra das Notas com vencimento em 2023 remanescentes e que pagavam juros de 7.750% ao ano, enquanto o restante foi direcionado para pagamento de dívidas de curto prazo. As notas foram colocadas no mercado internacional e ofertadas somente a investidores institucionais qualificados, residentes e domiciliados nos Estados Unidos da América, com base na regulamentação emitida pela “Securities and Exchange Commission”, especificamente, a “Rule 144A”, e, nos demais países, exceto no Brasil e nos Estados Unidos da América, com base na “Regulation S”

2018

Em 20 de dezembro de 2018, por meio de Fato Relevante, a Companhia homologou o aumento de capital privado, onde, segundo amplamente divulgado ao mercado, a assembleia geral extraordinária da Companhia, realizada no dia 15 de outubro de 2018 (“AGE 15.10.2018”) aprovou o aumento de capital da Companhia no montante de até R$ 1.059.300.000,00, com a subscrição particular de até 165.000.000 de novas ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal, pelo preço de emissão de R$ 6,42 por ação, com atribuição, como vantagem adicional aos subscritores das ações objeto do aumento de capital, de 1 bônus de subscrição para cada nova ação subscrita (“Aumento de Capital”). Como consequência da subscrição das Ações Subscritas, foram emitidos 150.268.698 bônus de subscrição, na proporção de 1 bônus de subscrição para cada Ação Subscrita (“Bônus de Subscrição”). Cada Bônus de Subscrição confere ao seu titular o direito de subscrever uma ação ordinária de emissão da Companhia. Os Bônus de Subscrição poderão ser negociados na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (“B3”) sob o código de negociação “BEEF 11” a partir de 21 de dezembro de 2018, inclusive, e poderão ser exercidos, também a partir de 21 de dezembro de 2018, inclusive, conforme procedimentos e prazos específicos detalhados em aviso aos acionistas divulgado pela Companhia na presente data. Em decorrência da homologação do Aumento de Capital parcialmente subscrito, a cifra do capital social da Companhia foi alterada, passando de R$ 150.431.823,37, dividido em 226.418.459 ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal, de emissão da Companhia, para R$1.115.156.864,53, dividido em 376.687.157 ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal.

2019

Em 23 de abril de 2019, anunciamos a 6ª Emissão de Debêntures, não conversíveis em ações sem garantia real em duas séries, com um valor principal total de R$ 600,0 milhões. A primeira tranche tem um valor principal agregado de R$ 400,0 milhões, com vencimento em 15 de maio de 2022 e taxa de juros de CDI mais 1,80% ao ano. A segunda tranche tem um valor principal agregado de R$ 200,0 milhões, com vencimento em 15 de maio de 2024 e taxa de juros de CDI mais 2,0% ao ano. A segunda tranche será amortizada em duas parcelas, em 15 de maio de 2023 e 15 de maio de 2024.

2019

Em 22 de novembro de 2019, anunciamos a 7ª Emissão de Debêntures, não conversíveis em ações em uma série, com valor principal de R$500,0 milhões, com vencimento em 12 de dezembro de 2024 e taxa de juros de IPCA mais 4,5% ao ano. Utilizamos os recursos líquidos dessas debêntures no desenvolvimento de nossas atividades de agronegócio e no relacionamento com produtores rurais do setor de carnes e no âmbito de nossa comercialização.

2020

Em 23 de janeiro de 2020, por meio de fato relevante, divulgamos a oferta pública de ações, onde foram aprovadas em reunião do Conselho de Administração da Companhia, realizada nesta data, dentre outras deliberações, (i) o preço por Ação de R$13,00; (ii) o efetivo aumento do capital social da Companhia, dentro do limite do capital autorizado, no montante total de R$1.040.000.000,00, mediante a emissão de 80.000.000 de novas ações da Companhia, e (iii) a homologação do novo capital social da Companhia, no âmbito da oferta pública de distribuição primária e secundária de ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal, de emissão da Companhia, todas livres e desembaraçadas de quaisquer ônus ou gravames, com esforços restritos de colocação, nos termos da Instrução CVM 476 (“Oferta”). Em razão do aumento do capital social da Companhia no âmbito da Oferta, o capital social passou de R$ 288.492.903,39, dividido em 403.686.540 ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, para R$ 1.328.492.903,39, dividido em 483.686.540 ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal. As Ações objeto da Oferta passarão a ser negociadas na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (“B3”) em 27 de janeiro de 2020, sendo que a liquidação física e financeira das Ações ocorrerá no dia 28 de janeiro de 2020.

2020

Em 22 de maio de 2020, anunciamos a 8ª Emissão de Debêntures, não conversíveis em ações sem garantia real em 2 tranches, com um valor principal total de R$ 600,0 milhões. A primeira tranche tem um valor principal agregado de R $400,0 milhões com vencimento em 13 de maio de 2025. A segunda tranche tem um valor principal agregado de R $200,0 milhões com vencimento em 13 de maio de 2026. As debêntures têm um swap percentual de CDI, resultando em uma taxa de juros de 160% do CDI. Os recursos líquidos das debêntures foram utilizados nas atividades do agronegócio e no relacionamento com os produtores rurais, no âmbito da indústria e do comércio de carnes.

2020

Em 15 de junho de 2020, anunciamos a 9ª Emissão de Debêntures, não conversíveis com garantia real em uma série, com valor principal de R$ 600,0 milhões, com vencimento em 12 de junho de 2025. As debêntures possuem swap percentual do CDI, como resultado, a taxa de juros final é de 160 % da taxa do CDI. Os recursos líquidos das debêntures foram utilizados nas atividades do agronegócio e no relacionamento com os produtores rurais, no âmbito da indústria e do comércio de carnes.

2021

Em 03 de março de 2021, anunciamos o Bond 2031, concluindo nesta data uma oferta no exterior de bônus (bonds), no valor total de US$ 1,0 bilhão. A emissão teve demanda mais que 2,3 vezes superior à oferta. Os bonds com vencimentos em 2031, foram emitidos com taxa de juros de 4,375% a.a. A operação recebeu classificação de risco em moeda estrangeira de “BB“ pelas agências Standard & Poors (“S&P”) e Fitch Ratings. A emissão faz parte do processo de liability management da Minerva Foods, cujo objetivo é o de alongar o perfil da dívida e reduzir o custo da estrutura de capital da Companhia, e será utilizada no processo de recompra das Notes 2026, que possuem cupom de juros de 6,500% a.a. e vencimento em 2026, conforme anunciado em 01 de março de 2021. Este movimento implica em uma redução de mais de 200 bps no custo anual dessa dívida, em dólares norte-americanos.

2021

Em 19 de abril de 2021, anunciamos a 10ª Emissão de Debêntures simples, no montante de R$1,6 bilhão, sendo a 1ª série de R$1,2 bilhão com vencimento em 7 anos, com remuneração de 5,5034% a.a., atualizado pelo IPCA, e a 2ª série de R$400 milhões com vencimento em 10 anos, com remuneração de 5,5780% a.a., atualizado pelo IPCA. A Companhia optou por fazer o swap do indexador, assim o custo final do instrumento será de aproximadamente 128% CDI para ambas as séries.

2021

Em 06 de julho de 2021, a Companhia lançou o Retap Bond 2031, com taxa de juros de 4,375% a.a. e vencimento em 2031 adicionais (originalmente emitidos em março de 2021), no valor total de US$400 milhões (“Notas Adicionais”). A operação recebeu classificação de risco em moeda estrangeira de “BB” pelas agências Standard & Poor’s e Fitch Ratings. A emissão das Notas Adicionais faz parte do processo de liability management da Minerva, cujo objetivo é o de alongar o perfil dívida da Companhia e reduzir o custo da estrutura de capital da Companhia, e será utilizada no pagamento antecipado de dívidas da Companhia e usos gerais.

  • 2007
  • 2009
  • 2010
  • 2011
  • 2012
  • 2012
  • 2012
  • 2012
  • 2013
  • 2013
  • 2014
  • 2016
  • 2017
  • 2017
  • 2017
  • 2018
  • 2019
  • 2019
  • 2020
  • 2020
  • 2020
  • 2021
  • 2021
  • 2021